Edigar Mão Branca em Maracás

O São João Quente na Terra do Frio 2017 recebeu um dos artistas mais tradicionais da Bahia, o forrozeiro Edigar Mão Branca fez a abertura oficial do São João de Maracás. O cantor levou alegria e suas músicas consagradas ao longo de sua carreira. O Alegrador de festa continua brilhando nos palcos e fazendo um forró autêntico com letras que valorizam as coisas do sertão, suas tradições, o vaqueiro, o cavalo, o amor, o povo nordestino.

 

Edigar Mão Branca em Maracás

Edgar Mão Branca é o nome de guerra de Edigar Evangelista dos Anjos, brasileiro, cantador, poeta, radialista, ex-deputado e forrozeiro. Assumidamente um cabra de pé de serra, de vaquejada e tirada de leite que nasceu em 14 de janeiro de 1959, no Lodo das Jegas, Região da Mata Fria, Distrito de Macarani na Bahia. Filho de família agricultora, veio para a cidade Itapetinga-Ba pela primeira vez com apenas seis anos de idade trazido por sua tia, Dona Zita, que lhe conduziu à escola, da qual fugiu várias vezes, pra brincar no campo, tomar banho de rio, festas de reisado, noitadas de forró, caçadas de tatu. Sua infância ativa e no campo contribuiu para a autenticidade do que canta o violeiro Edigar Mão Branca, nome-apelido que veio do vitiligo das mãos, ele utilizou essa característica para assumir uma identidade forte e original no meio artístico.

Seu excelente e original trabalho, desde o inicio reflete a pertinência em relatar a realidade do povo do sertão, identidade única que ele mostra com toda sutileza em suas palavras traduzidas em cantos e encantos. Isto é uma soma de simplicidade, autenticidade, talento e coragem na árdua caminhada que os bons acabam sempre tendo que trilhar.

veja também