Manifesto Devolva meu São João

Sanfoneiros e representantes de bandas de forró tradicional estão promovendo a campanha “Devolva meu São João”. A iniciativa foi do músico Nivaldo Expedito de Carvalho, mais conhecido como Chambinho do Acordeon, intérprete do Rei do Baião no filme Gonzaga: De pai pra filho. A ideia surgiu no ano passado, a partir de sua experiência no universo ficcional, enquanto interpretava o personagem Targino dos 120 baixos na novela Velho Chico. O músico da ficção, que saía do sertão para se apresentar em um vilarejo, se deparava com uma situação muito parecida com a enfrentada pelos sanfoneiros na realidade. O Manifesto vem ganhando as redes sociais e cantores como Elba Ramalho e Flávio José estão empenhados no resgate das tradições nordestinas.

Manifesto Devolva meu São João

Na mesma época, foi se apresentar, na véspera de São João, na cidade de Feira de Santana (BA) e se emocionou com o depoimento de um sanfoneiro local, J. Sobrinho. Conhecido na região, o sanfoneiro iria passar a primeira data junina sem tocar em 30 anos. O depoimento emocionou Chambinho e o episódio inspirou o diretor a denunciar a descaracterização dos festejos juninos no enredo da novela. Com uma agenda de 25 shows para o mês de junho, Chambinho diz que a maior preocupação é com a situação dos “pequenos” músicos.

A convocatória nas redes sociais, explica, é o início de uma ação que deve contar ainda com veiculação de um manifesto em vídeo e de projeto a nas prefeituras dos principais polos juninos. Entre as frases divulgadas pelos artistas na campanha, estão “Devolvam o nosso São João”, “São João é do Nordeste” e “São João só é grande quando tem forró”.

No manifesto político-cultural, o músicos apontam que a desproporcionalidade entre artistas locais diretamente ligados aos gêneros tradicionais, como o forró pé-de-serra e o baião, e atrações de outros estilos e estados ocorre, principalmente, nos grandes polos do ciclo, como Caruaru, em Pernambuco, e Campina Grande, na Paraíba. “Algumas cidades sempre introduziram ‘grandes nomes da música’ em suas programações. ‘Grandes nomes’ porque são impostos massivamente na mídia. Nessas cidades, querem que a festa seja grande, mas ela está ficando culturalmente cada vez menor”, critica Alcymar em entrevista ao Jornal Diário de Pernambuco, ele ainda faz referência  à detentora do título de “Maior São João do Mundo”, na Paraíba, que classifica como “palco dos horrores”. “Eles incutem na cabeça da juventude que essa outra música é sucesso”, alfineta.

O forrozeiro classifica as tradições culturais como um direito universal, existente no mesmo patamar que outras garantias básicas necessárias como saúde e alimentação. “O forró é a trilha sonora da maior festa de inverno do mundo. Uma manifestação que é a representação dos nossos valores mais profundos, oriundos de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, esses grandes menestréis que construíram nossa cultura musical”, afirma Alcymar Monteiro.

Assista ao Documentário Forró, Minha Vida este filme mostra a paixão pelo forró pé de serra, gênero musical que expressa as características e traços da cultura nordestina. E conta com depoimentos de pessoas que transformaram o forró em estilo de vida, através da música e da dança.

Fonte: Diário de Pernambuco

 

veja também