Protesto do MST interdita a BA-250 em decorrência das ações judiciais da desocupação de uma fazenda da Ferbasa

O Movimento Sem Terra (MST) interditou nessa quarta-feira (29), a BA-250 no trecho entre Maracás e Lagedo do Tabocal. Segundo Abrão, líder do MST na região da Chapada Diamantina, o protesto está interditando a BA-250 por tempo indeterminado, até que a FERBASA entre em nova rodada de negociações e tenha proposta para as 650 famílias que ocuparam quatro propriedades da empresa nos municípios de Maracás e Planaltino.

O Movimento Sem Terra quer a desapropriação dessa área ocupada, segundo os integrantes do MST, a fazenda é improdutiva e não exerce função social.

A produção de eucalipto na Bahia vem sendo questionada por Ambientalistas e entidades de luta pela terra que  chamam as plantações de Deserto Verde, e defendem que a monocultura não pode ser cogitada como “floresta” de acordo com a pouca biodiversidade em seu meio.

Essas entidades buscam proteger comunidades tradicionais e de pequenos agricultores seguindo ideias que essas plantações podem contribuir para impactos hidrológicos. Utiliza-se o termo monocultivo de eucalipto por reputar uma floresta como seio de imensa diversidade de fauna e flora, diferente do que ocorre nas plantações de tais florestas. O intenso uso de agrotóxicos para livrar-se de gramíneas e outras plantas contamina o solo, e nada mais fertiliza a terra – assim tornando-se o popular “deserto verde”.

#carlomagnum #mst #movimentosemterra

veja também
error: Content is protected !!