Torto Arado é o romance clássico de destaque no Brasil

O escritor baiano Itamar Vieira Junior, vem se destacando no Brasil e também em Portugal pelo romance Torto Arado. O livro é uma verdadeira e emocionante declaração de amor à terra ao escrever sobre as histórias de luta e resistência na Chapada Diamantina.

A história de luta e resistência que acontece em uma época qualquer tem como cenário a Chapada Diamantina, as irmãs Bibiana e Belonísia protagonizam . O baiano Itamar Vieira Junior era um jovem ainda no ensino médio quando começou a escrever Torto Arado.  A essência da narrativa, no entanto, permaneceu inalterada: a história de duas irmãs, contada a partir de sua relação com o pai e com a terra onde viviam. O título, retirado do poema Marília de Dirceu, de Tomás António Gonzaga, tampouco mudou.

ITAMAR VIEIRA JUNIOR (FOTO EL PAÍS)

O que veio depois foi a vontade de levar a história para o sertão da Chapada Diamantina, longe da capital ou do Recôncavo Baiano, onde a maioria dos seus conterrâneos ambientam suas narrativas. “A gente fala do sertão, do semiárido, parece que se trata de uma coisa só, mas o sertão da Chapada tem uma regularidade de chuva, uma diversidade de paisagem, de mato, que salta aos olhos”, conta Vieira Junior, hoje com 41 anos.

O escritor participou recentemente do Programa Roda Viva da TV Cultura. Vencedor do Prêmio Jabuti de Melhor Romance, em 2020, por ‘Torto Arado’, Itamar Vieira Junior é geógrafo, formado pela Universidade Federal da Bahia, onde também concluiu mestrado, e doutor em Estudos Técnicos e Africanos pela mesma UFB. ‘Torto Arado’ também garantiu ao escritor, no ano passado, o Prêmio Oceanos, um dos mais importantes do mundo literário de língua portuguesa. Em 2018, ele já havia recebido o Prêmio Leya, para romance. A obra retrata a dramática realidade vivida nos sertões, a seca, a violência contra as mulheres e as práticas escravocratas, que permanecem nas relações de trabalho.

Via Jornal EL PAÍS

veja também
error: Content is protected !!