A GWM Poer será lançada no Brasil e vai concorrer diretamente com a Toyota Hilux

A GWM já chegou no Brasil fazendo história e sucesso com o Haval H6 nas versões híbridas e elétrica. A montadora chinesa comprou a antiga fábrica da Mercedes-Benz, em Iracemápolis (SP), e apostando forte em eletrificação. Hoje, já tem três versões do SUV Haval H6 à venda. Mas esse portfólio vai crescer. Afinal, a fabricante acaba de confirmar sua primeira picape feita no País.

GWM Poer

O modelo vai chegar com o status de ser a primeira picape híbrida feita no Brasil. Afinal, a Ford Maverick híbrida é importada. Batizado de Poer (leia-se: póuer), o motor a combustão vai ser flex. Ou seja, diferentemente da picape da marca norte-americana, poderá ser abastecida tanto com gasolina quanto etanol. Trata-se do primeiro modelo da marca chinesa com essa tecnologia.

Na fábrica, o desenvolvimento segue a todo vapor. Afinal, é preciso adequar os projetos às preferências do brasileiro. Assim como às condições de rodagem do País. Por isso, a marca informa que motor e os sistemas de suspensão, direção e conectividade, por exemplo, têm desenvolvimento específico.

Assim, a nova concorrente de modelos como Toyota Hilux, Chevrolet S10 e companhia vai ter dois motores elétricos, sendo um em cada eixo, além do 2.0 turbo flex. Não há dados de potência, por exemplo. Afinal, a picape ainda está em fase de desenvolvimento. Seja como for, a tração 4×4 é algo praticamente mandatório nesse tipo de carro. Portanto, virá também na picape da GWM.


De acordo com a GWM, a fábrica paulista, que é a maior da empresa no Ocidente, só vai começar a produzir daqui a um ano. Ou seja, no dia 1° de maio de 2024. Entretanto, o projeto de modernização e ampliação da linha de montagem e da capacidade instalada já está em andamento.

Nesse sentido, a primeira fábrica do Brasil dedicada exclusivamente à produção de veículos híbridos e elétricos, terá capacidade para produzir 100 mil unidades por ano. Como resultado, deve gerar cerca de 2.000 empregos diretos. A meta é que planta produza veículos híbridos convencionais, híbridos plug-in, 100% elétricos e até mesmo a célula a hidrogênio.

Com o objetivo de exportar veículos eletrificados para toda a América Latina, a unidade brasileira da GWM é fruto de investimentos de R$ 10 bilhões. Conforme a empresa, esse montante inclui a ampliação da fábrica, contratação de colaboradores e início da produção de dois modelos. Ou seja, a Poer e um SUV, feito sobre a mesma plataforma.

Fonte: Jornal do Carro

veja também
error: Content is protected !!