A tempestade tropical chega na Segunda (25) na costa sul da Bahia

Uma tempestade tropical se aproxima da costa do Espírtio Santo e da Bahia neste domingo (24). A tempestade tropical é uma categoria antes do ciclone tropical, comumente chamado de furacão.

O alerta foi feito pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE), em colaboração com o Centro de Hidrografia da Marinha (CHM – Marinha do Brasil) e com o Instituto Nacional de Meteorologia.

“Seu deslocamento é previsto para a direção Sudoeste e seus efeitos poderão ser sentidos no litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo até o dia 26”, diz o comunicado. Às 9h deste domingo, os ventos chegaram a 65 km/h e o centro da tempestade estava em alto-mar próximo ao Espírito Santo.

No sábado (23), este sistema ainda era uma depressão tropical. A tempestade foi chamada de Iba, que significa “ruim” em tupi-guarani.

A tempestade tropical chega na Segunda (25) na costa sul da Bahia

Neste fim de semana, o primeiro do outono de 2019, há uma possibilidade de formação de um novo ciclone na costa brasileira, entre o litoral do Espírito Santo e o sul da Bahia. Os efeitos da tempestade tropical devem ser sentidos principalmente em alto-mar associados à chuva intensa, informaram os institutos. São esperados ventos fortes nas proximidades do litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo que podem chegar a 87 km/h em alto-mar, no setor Leste do ciclone, e 61 km/h junto à costa, durante todo o período de atuação do ciclone. A previsão é de ondas com alturas entre 3 e 5 metros em alto-mar e possibilidade de ocorrência de ressaca na costa entre Vitória (ES) e Caravelas (BA), com ondas de até 2,5 metros, até a noite do dia 25.

A tempestade tropical chega na Segunda (25) na costa sul da Bahia

As simulações atmosféricas feitas por supercomputadores indicam há vários dias a possibilidade de formação de um forte ciclone (área de baixa pressão atmosférica) sobre o mar, na altura da costa do Espírito Santo e sul da Bahia.  Esta formação vem agitando os bastidores da previsão do tempo.

Pela latitude de formação e características de temperatura do seu centro, tanto em superfície como em camadas de ar superior, poderia ser um ciclone tropical, com potencial para ser até nomeado, mas no mínimo receber um INVEST pelo monitoramento internacional de ciclone tropicais. Março é um mês de típico de formação de tempestades tropicais e subtropicais na costa brasileira por ser o fim do verão, quando a água do mar do Atlântico Sul na  costa do Brasil está mais quente. No verão de 2019, este aquecimento acima do normal foi um fator determinante para os diversos eventos de chuva extrema que tivemos no litoral de São Paulo e no centro-sul do Rio de Janeiro.

 

Quando o ciclone poderá se formar?

A projeção dos modelos de previsão numérica do tempo apontam que a baixa pressão atmosférica que daria origem a esta nova tempestade começará a se intensificar no sábado, 23 de março de 2019. No dias seguintes, o forte sistema de baixa pressão atmosférica já formado permaneceria atuante e em movimento na costa do Espírito Santo até a terça-feira, 26 de março.

Formando ou não uma tempestade tropical, recebendo ou não um nome, esta baixa pressão atmosférica tem potencial para provocar grandes volumes de chuva, especialmente sobre o mar, além de ventos moderados a fortes que poderiam atingir também o Espírito Santo.

A Climatempo vai acompanhar atentamente as condições atmosféricas na costa capixaba nos próximos e informar o público. Por enquanto, nesta quinta-feira, 21 de março de 2019, é preciso ficar claro que não existe nenhum ciclone, nenhuma tempestade, nenhum furacão. Até o momento é apenas uma indicação das simulações atmosféricas feitas por supercomputadores que precisam ser analisadas com muita cautela e reavaliadas todos os dias, pois podem mudar o resultado de um dia para outro.

O que intrigou os meteorologistas da Climatempo?

O que intrigou os meteorologistas da Climatempo nos últimos dias é que as análises dos diagramas de fase do dia 19/3/2019, que projetam a temperatura e o deslocamento de futuros ciclones, indicaram que este possível sistema de baixa pressão atmosférica que poderá se formar na costa do Espírito Santo teria um núcleo quente em superfície e em ar superior, e também um deslocamento para oeste, em direção ao continente, o que não é comum porque contraria o escoamento natural da atmosfera que seria de do continente para o mar.

As soluções destes diagramas no dia 20 de março apontaram para um sistema enfraquecido e com deslocamento para o mar, ou seja, contrariando a solução do dia 19 de março.

Estas mudanças nas simulações atmosféricas feitas por supercomputadores ocorre diariamente, em muitas outras regiões e em diferentes situações meteorológicas. Por isso também os meteorologistas precisam ter muita cautela ao analisarem estas simulações. É preciso ficar atento para a consistência de um dia para outro. A análise dos diagramas de fase do dia 19 de março mostrou o forte sistema de baixa pressão atmosférica com núcleos quentes e até com as características de furacão: núcleo quente profundo, simetria, movimento para oeste vencendo o escoamento normal da atmosfera.

Aviso especial da Marinha sobre o novo ciclone

A Marinha do Brasil emitiu aviso especial sobre a possibilidade de formação deste novo ciclone em águas brasileiras. O aviso foi emitido às 17 horas de 21/3/2019 (2000 HMG – 21/mar/2019) como pode ser visto abaixo.

AVISO NR 196/2019
AVISO ESPECIAL

EMITIDO ÀS 2000 HMG – QUI – 21/MAR/2019
POSSÍVEL FORMAÇÃO DE CICLONE TROPICAL EM 15S038W, A PARTIR DE 231200 HMG, COM DESLOCAMENTO PARA SUL. VENTO CICLÔNICO FORÇA 7/9 COM RAJADAS AFETANDO A ÁREA ECHO E A ÁREA DELTA AO NORTE DE 22S.
VÁLIDO ATÉ 251200 HMG.

Fonte: Climatempo

veja também