Vanádio de Maracás completa 6 anos de atividade e desenvolvimento para Maracás

A Vanádio de Maracás (VMSA), única mineradora de vanádio das Américas e considerada a melhor mineradora desse produto do mundo, completa seis anos de operação. Essa data marca um novo ciclo de desenvolvimento e prosperidade para Maracás. A mineradora é pioneira na exploração desse minério valioso e único nas Américas, a empresa em parceria com seus colaboradores, conquistaram muitas vitórias com competência, força, garra, união e inovação a vem escrevendo uma linda história!

Um investimento de US$ 260 milhões, aproximadamente R$ 500 milhões, que vai gerar 1.200 empregos durante a implantação e outros 400 quando estiver em operação, começa a ser concretizado nesta quinta-feira (21), no município de Maracás, na Chapada Diamantina. O governador Jaques Wagner e a direção do grupo canadense Largo Resources Ltda (Largo Mineração) lançaram, na cidade, a pedra fundamental da primeira mineradora de vanádio das Américas.

A História


A história da Vanádio começa em 2014, esse início de atividade provoca uma verdadeira transformação econômica e social em Maracás, município a 365 quilômetros de Salvador, com pouco mais de 24 mil habitantes e conhecida também como a Cidade das Flores. Com a economia baseada na agricultura, pecuária e produção de flores, a cidade viu chegar novos investimentos que dinamizaram a economia local, gerando novas oportunidades.

Desde a sua implantação, a VMSA contribui para o aquecimento da economia local através da massa salarial paga aos seus 800 colaboradores diretos – grande parte deles moradores de Maracás e região, além de fortalecer o poder de investimentos do município por meio de recolhimento de impostos e compras locais.

A primeira mineradora de vanádio das Américas foi inaugurada nesta quarta-feira (21), com a presença do governador Jaques Wagner, em Maracás, sudoeste da Bahia. A Vanádio de Maracás S/A, empresa do grupo canadense Largo Resources, possui o maior teor do metal em todo o mundo.


Transformação e sustentabilidade


Durante a implantação foram investidos R$ 6 milhões em estruturas para acomodar os trabalhadores, que foi doada parcialmente para o município. Outros R$ 1,5 milhão foram usados na recuperação da estrada de acesso ao projeto. A empresa disponibilizou ainda, recursos de R$ 5,9 milhões em projetos ambientais e de qualificação profissional, geração de emprego e renda e desenvolvimento cultural.


Dentre os projetos desenvolvidos e apoiados pela empresa se destacam os de Lazer e Qualidade de Vida com o Clube para a Cidade de Maracás que está em andamento; de Educação através de ampliação do ensino médio já implantado em 2019, com cursos profissionalizantes, formação técnica e laboratórios, em parceria com o SESI/SENAI; de Esporte e Cidadania, com o Projeto Jiquiriça de Judô e Jiu-Jitsu; o  Mulheres Ativas, com cursos e projeto de confecção, corte e costura, apoio à  AMAME – Associação de Maracaense de Apicultores e Meliponicultores Ambientalistas, que está incrementando a produção de mel a ser ofertado ao mercado.

A empresa doou várias ambulâncias, odonto-móvel, UTI-móvel, carro para guarda municipal, caminhão para coleta seletiva, caminhão para projeto de Mel, caminhão-pipa e ETA para Água Branca.


Alta tecnologia


A planta da Vánádio de Maracás é uma das mais modernas em processamento de Vanádio do mundo. O projeto foi concebido por uma equipe de técnicos que analisou as melhores técnicas empregadas nas empresas de ponta e pesquisou o que havia de mais moderno em termos de equipamentos. A sinergia entre boas práticas e tecnologia avançada resultou na concepção de uma planta única no mundo.


O forno de calcinação, por exemplo, é um dos mais modernos do mundo em operação em uma mineradora de Vanádio. Com 90 metros de comprimento e 4,2 de diâmetro interno, tem capacidade para processar 1.060 toneladas de concentrado por dia a uma temperatura de 1.100 graus centígrados.

Largo (TSX-V: LGO) is a growing strategic mineral company focused on the production of vanadium at its Vanadio de Maracás Menchen Mine.

Toda a extração do minério é a céu aberto facilitando a lavra do material com equipamentos de grande porte. Após a retirada do minério do solo, caminhões levam o material até o britador de mandíbulas, onde são quebradas em pedaços menores. Para evitar a formação de poeira neste processo, o equipamento possui aspersores de água.

O processamento da VMSA vai muito além do beneficiamento mineral e inclui processo de pirometalugia, uma planta química e a metalurgia do vanádio para produzir o Pentóxido de Vanádio com 99,5% pureza. É um produto de muito valor agregado. O vanádio é utilizado na produção de aços leves e de alta resistência, além de ligas de Titânio Alumínio usado pela indústria aeroespacial.


A empresa adota práticas modernas na gestão de rejeitos e 50% é estocado a seco (dry stacking). A outra parte é disposta em bacias revestidas. Nenhum efluente é lançado no meio ambiente. Estas boas práticas, além do processamento de separação magnética à seco, garante um excelente reuso da água: 96%. O uso racional da água e evitar o seu desperdício é um compromisso da Vanádio de Maracás.  Outro destaque é a preservação do meio ambiente. A empresa preserva 4.240 hectares e utiliza apenas 3,6% da sua área.


Sobre a Largo Resources


A Vanádio de Maracás, que pertence à canadense Largo Resources, iniciou as operações em 2014 em Maracás, município do Sudoeste Baiano, distante 365 km da capital, com investimentos de mais de US$350 milhões, colocando a Bahia e o Brasil em posição de destaque na produção e exportação de Pentóxido de Vanádio, um dos minérios mais nobres e fundamental na produção de aços leves e de alta resistência, além de ligas de Titânio Alumínio usado pela indústria aeroespacial.

Via: CBPM

veja também
error: Content is protected !!