A história de um Mito – Porsche 911

Lançado em 1963, o Porsche 911 chega aos 40 anos em plena forma. Nenhum outro carro esporte conseguiu isso. O carro esporte mais bem sucedido de todos os tempos está fazendo 40 anos. Apresentado em setembro de 1963, o Porsche 911 chega a 2003 em plena forma, com aura de vencedor e, principalmente, como uma lenda da história do automóvel.

A história de um Mito - Porsche 911

Nenhum outro carro de sua categoria conseguiu permanecer tanto tempo no mercado sem alterar seu conceito básico. Não é preciso forçar a vista para reconhecer, nos novos modelos, a herança do 901 apresentado em 1963. O que mudou, e muito, foram a mecânica – alterada constantemente na busca por mais desempenho – e a dotação de equipamentos de conforto e segurança, acompanhando (na verdade, muitas vezes iniciando) a evolução tecnológica de cada época.

A história de um Mito - Porsche 911

É verdade que o 911 de 2003 não tem um único parafuso em comum com o modelo de 1963. O conceito básico, porém, permanece inalterado: motor de alto desempenho alojado na traseira, assegurando agilidade e boa tra- ção nas rodas traseiras, otimizando a distribuição de peso e a frenagem. Nestes 40 anos, o motor 6 cilindros boxer quase dobrou de cilindrada e triplicou sua potência: o motor original, refrigerado a ar, tinha 130 cv contra os 420 cv atuais do 911 Turborefrigerado a água. Mesmo assim, manteve uma característica fundamental: um uivo inconfundível.

A história de um Mito - Porsche 911

A história do 911 começou ainda no final da década de 1950. O modelo 356, projetado por Ferry Porsche e lançado em 1950, começava a se tornar obsoleto. Embora tenha passado por mudanças significativas de estilo e mecânica, o 356 enfrentava limita- ções de desempenho por conta do seu motor de quatro cilindros, que já tinha atingindo seu limite. Mais: a Porsche estava firmando seu nome nas competições com modelos mais potentes e com motores mais sofisticados. Ferry Porsche percebeu em 1959 que a solução seria um automóvel totalmente novo.

A história de um Mito - Porsche 911

A proposta era ambiciosa, principalmente levando em conta que na época a Porsche era uma companhia pequena, com cerca de 1.000 funcionários. Ferry fez apenas duas exigências básicas: o novo carro teria que ter um motor mais forte e ser mais confortável que o 356. Deixou claro também que ficaria muito contente se pudesse acomodar no novo Porsche, “sem o menor problema”, uma sacola de tacos de golfe.

A evolução do 911, ano a ano

A história de um Mito - Porsche 911

1963 

O Porsche 901 é apresentado no salão do automóvel de Frankfurt.

1964

• Início das vendas, já com o nome definitivo 911. O motor 2,0 litros desenvolvia 130 cv, permitindo ao carro atingir 210 km/h.

A história de um Mito - Porsche 911

1965

• Percebendo que havia mercado para um modelo mais barato, a Porsche lança o 912. A carroceria é a mesma do 911, mas o motor, herdado do 356, tem 4 cilindros e 1,6 litros, desenvolvendo 90 cv. • Apresentação da versão Targa (teto acima dos passageiros e vigia traseira em lona, coluna central rígida). Essa solução, criada pela Porsche, é copiada até hoje. O termo “targa” (homenagem à Targa Florio, corrida disputada na Itália entre 1906 e 1977) passa a denominar todo carro com esse tipo de carroceria.

1966

• Lançamento da versão 911S, já integrando a linha 1967. Foi a primeira das muitas vezes em que o motor do 911 teve sua potência aumentada – o motor de 2,0 litros passou a ter 160 cv, permitindo chegar a 225 km/h. Em configuração de corrida, o motor tinha 210 cv e foi usado nos Porsche 904 e 906. Também foram feitas mudanças na suspensão e introduzidas as famosas rodas “Fuchs”, consideradas as mais típicas dos primeiros Porsche.

1967

• Apresentada a versão 911T, como modelo 1968. Tinha motor de 110 cv e câmbio de 4 marchas.

• A Porsche passa a oferecer a opção do câmbio Sportomatic, uma caixa semi-automática com quatro marchas, equipada com um conversor de torque e uma embreagem elétrica acionada sempre que o motorista troca de marchas. Esse câmbio mantevese na linha até 1980.

1968

• A Porsche passa a ter representação oficial no Brasil por intermédio da Dacon. Chegam ao País os 912E, criados especificamente para o mercado brasileiro para se adequar à legisla- ção de importação da época.

• Primeiro desenvolvimento significativo na carroceria: distância entre-eixos aumentada de 2.211 para 2.268 mm e alterações na suspensão dianteira trazem um novo padrão de dirigibilidade.

• No final do ano, o 912 deixa de ser fabricado.

A história de um Mito - Porsche 911

1969

• Introdução do câmbio de cinco marchas. A cilindrada do motor é aumentada para 2,2 litros (2.195 cm³). Com isso, os 911 “T”, “E” e “S” passam a desenvolver, respectivamente, 125, 155 e 180 cv.

1970

• O Targa passa a ter vigia traseira em vidro. 1971 • Novo aumento de cilindrada (2.341 cm³), valendo para a linha 1972. Potência das versões 911 T, E and S aumenta para 130, 165 e 190 cv.

A história de um Mito - Porsche 911

1972

• A denominação Carrera aparece pela primeira vez no 911 e marca a subida de cilindrada para 2,7 litros. Com 210 cv, pode chegar a 245 km/h. 1973 • Lançamento do Carrera RS, com motor de 2,7 litros. A Porsche homologa também a configuração Carrera RSR, específica para corridas e que consegue suas primeiras vitórias ainda nesse ano.

1974

• Apresentado o 930, primeiro carro esporte do mundo equipado com motor turbo de série (3,0 litros, 260 cv). Anos depois, ele seria rebatizado como 911 Turbo. A versão RSR Turbo, de corrida, desenvolve 500 cv.

1975

• A Porsche torna-se o primeiro fabricante do mundo a usar carroceria galvanizada em ambos os lados. Passa a oferecer garantia de 6 anos contra ferrugem.

1976

• Motor de 3,0 litros, agora em alumí- nio, substitui o de 2,7 litros na versão Carrera. • Em sua primeira temporada, o Porsche 935 (modelo de corrida preparado de acordo com as especificações do Grupo 5) vence várias corridas e também o Campeonato Mundial de Marcas. Repetiria a conquista em 1977 e seria usado com sucesso por equipes particulares até meados dos anos 1980.

1977

• No dia 3 de junho, sai da linha de produção um 911S 2.7, o 250.000º Porsche produzido desde o começo das atividades da empresa, em 1948.

• Novo sistema de injeção de combustível reduz o consumo do 911 SC (3,0 litros, 180 cv) em 17% em relação ao modelo anterior.

• Apresentado o 911 Turbo modelo 1978, com motor de 3,3 litros e 300 cv de potência e freios herdados do 917 de competição.

1978

• Surge o 911 mais potente da história: o 935 “Moby Dick”, modelo de corrida com motor turbo de 3,2 litros. Desenvolvia nada menos que 845 cv.

1979

• O Porsche 911 torna-se o primeiro carro esporte de alto desempenho a receber conversor catalítico, seguindo as normas norte-americanas de controle de emissões.

• Um 935 da equipe particular Kremer vence a 24 Horas de Le Mans.

1982

• Quase 20 anos após seu lançamento, o 911 ganha pela primeira vez uma versão conversível.

A história de um Mito - Porsche 911

1983

• Apresentado no Salão do Automóvel de Frankfurt o protótipo do Porsche 959, um 911 com tração nas quatro rodas e modificado para se enquadrar ao Grupo B da FIA para competições de rally.

• Novo sistema de injeção eleva a potência do motor de 3,2 litros para 231 cv (linha 1984). Raio-X de um 911 da geração “996”: uma jóia mecânica. O Turbo da geração “993”: mais que o triplo da potência do 911 de 1963.

A história de um Mito - Porsche 911

1984

• Vitória no Rally Paris-Dakar com um 911 SC 4×4. • Produzido o 200.000º Porsche 911.

1985

• Início das vendas do 959, equipado com motor turbo e tração nas quatro rodas controlada eletronicamente.

• Introdução de barras laterais de proteção para proteger os passageiros de eventuais impactos.

• Garantia contra corrosão passa de 6 para 10 anos. 1986 • O 959 vence o Rally Paris-Dakar.

A história de um Mito - Porsche 911

1987

• Apresentado no salão de Frankfurt o 911 Speedster, uma série especial comemorativa dos 25 anos do 911. Sua característica era o pára-brisa mais baixo, referência direta ao Porsche 356 – o modelo que foi substituído pelo 911.

1988

• Apresentação do Carrera 4 e comemoração do 25º aniversário do 911. O motor, com 3,6 litros, chega a 250 cv.

1989

• No 80º aniversário do professor Ferdinand “Ferry” Porsche, a companhia apresenta o novo Carrera, batizado internamente como “964”. Surge o câmbio Tiptronic.

1992

• Após breve interrupção, o 911 Turbo volta a ser fabricado, agora com 320 cv de potência, integrando a linha 1993.

A história de um Mito - Porsche 911

1993

• Apresentação de uma nova geração, denominada internamente como “993”. Além de ter novas carroceria e suspensões, o motor refrigerado a ar conta com tuchos hidráulicos e passa a desenvolver 272 cv.

• Disputada a primeira edição da Porsche-Pirelli Supercup, campeonato monomarca aberto exclusivamente ao 911, com corridas disputadas nas mesmas datas e locais dos GPs de Fórmula 1 disputados na Europa.

1994

• Stuttgart Sportcar abre sua primeira concessionária e passa a vender carros Porsche no Brasil.

1995

• O Turbo volta à cena, agora com duas turbinas. A cilindrada permanece (3,6 litros), mas a potência sobe para 408 cv. • Surge o 911 GT2, uma versão mais leve e potente do Turbo.

• Outro modelo volta à linha de produção: o Targa, agora com teto de vidro.

1996

• O 911 GT1, feito especialmente para corridas, dependia da existência de uma versão de rua para ser homologado. A Porsche constrói uma pequena série de GT1 com motor turbo de 3,2 litros (544 cv), que chegava a 310 km/h.

1997

• A Porsche passa a ser representada no Brasil pela Stuttgart Sportcar.

• O Porsche 911 passa pela reformulação mais marcante de sua história. Com o nome-código “996”, ganha motor refrigerado a água. A carroceria, reestilizada, passa a ter dimensões internas e externas maiores do que antes.

1998

• Comemoração do 50º aniversário da Porsche.

• Dois Porsche 911 GT1 terminam nos dois primeiros lugares na 24 Horas de Le Mans.

• Volta do 911 Cabriolet.

1999

• O novo 911 GT3 consegue uma marca histórica: o bicampeão mundial de rally, Walter Rohrl, consegue percorrer os 22,8 km do traçado original do circuito de Nurburgring, na Alemanha, em 7min56s33. É a primeira vez que um carro esporte original rompe a barreira dos 8 minutos nesse circuito, considerado o mais difícil do mundo.

2000

• Apresentado o 911 Turbo. Seus 420 cv, sua aceleração de 0 a 100 km/h em 4s2 e a tração integral fazem dele o esportivo de produção mais veloz e estável do mercado. 2001 • Mudança no desenho dos faróis dianteiros.

• Volta a versão GT2 (como modelo 2002), com motor baseado no do 911 GT1 de 1998. Motor biturbo de 3,6 litros passa a ter 462 cv, sendo capaz de levar o carro a 315 km/h. 2002

• Motor do 911 Carrera passa de 3,4 para 3,6 litros, ficando com 320 cv de potência.

• Após quatro anos, a Porsche volta a oferecer a versão Targa com teto de vidro.

• Lançado o Carrera 4S, combinando motor aspirado e carroceria do Turbo. 2003 • GT3 volta a ser fabricado após um ano. Passa a desenvolver 381 cv (antes, 360 cv), vai de 0 a 100 km/h em 4s5 e chega a 306 km/h. É mais potente 911 com motor aspirado.

• Lançamento de três novas versões: 911 Carrera 4S Cabriolet, 911 Turbo Cabriolet e 911 GT3 RS – este, uma sé- rie especial de 200 unidades, feita para homologar o modelo em corridas.

• Porsche coloca à venda um número limitado (1.963 carros) da edição comemorativa “911 40º Aniversário”.

2004

Os faróis do Boxster ficaram de lado no lançamento do 997, que retomou o formato ovalado com os piscas separados. Um dos modelos, o Carrera S, apresentou motor de 3,8 litros com incríveis 355cv. No chassi, a principal mudança foi a adição do gerenciamento de suspensão ativa como equipamento de série. O 997 teve mais de 24 edições diferentes do veículo: Carrera, Targa, Cabriolet, Turbo, GTS, tração traseira ou integral, edições de rua do GT e séries especiais.

2011

Com a classificação interna de 991, o mais recente Porsche 911 representou o salto técnico mais significativo de toda a linha de produção, que em 2013 completou 50 anos. No desempenho, sua construção híbrida de aço e alumínio diminuiu o peso do carro e, como inovação, trouxe uma caixa de câmbio manual de sete velocidades. Boa parte do ganho no desempenho também se deu à menor cilindrada do motor do Carrera. Suspensão nova com distância entre-eixos maior, rodas e pneus maiores, bitola mais larga e outras adaptações fazem dele um exemplo de conforto. Até que seja lançada a próxima geração, o 991 é o que de melhor já existiu na produção do Porsche 911.

A história de um Mito - Porsche 911

 

veja também