A incrível história de Marília Mendonça

A história de vida de Marília Mendonça foi do anonimato a ícone sertanejo nacional de modo meteórico. Nascida na cidade goiana de Cristianópolis em 22 de julho de 1995, Marília teve o seu primeiro contato com a música na igreja, tendo iniciado suas composições por volta dos doze anos de idade.

A incrível história de Marília Mendonça

A primeira composição da artista que se tem notícia é da canção “Minha Herança”, a qual foi gravada pela dupla sertaneja João Neto & Frederico dois anos após, em 2009. Mesmo sendo menor de idade, Marília investiu na composição de outras canções do gênero, tendo neste período sido a autora de “É Com Ela Que Eu Estou” e “Casei de Novo” de Cristiano Araújo, “Até Você Voltar” e “Cuida Bem Dela” de Henrique e Juliano, “Os Anjos Cantam” e “Calma” de Jorge e Mateus, “Bonde dos Solteiros” de Fred e Gustavo, “Ele Não Vai Mudar” e “Crime Perfeito” de João Neto e Frederico, entre várias outras.

Sua entrada no mundo da música aconteceu no ano de 2015, aos 20 anos, com a participação em duas músicas da dupla Henrique & Juliano: “A Flor e o Beija-Flor” e “Impasse”. Logo em seguida, no mês de julho, Marília realizou a gravação do disco Marília Mendonça: Ao Vivo, feito em um cenário com decoração simples e com garrafas de bebidas alcoólicas, o qual foi lançado oficialmente em março de 2016. Disponibilizado tanto nos formatos de CD e DVD pela gravadora Som Livre, recebeu aclamação positiva do público, alcançando o topo das paradas brasileiras.

 Entre as canções de destaque do disco, estão o single “Infiel” e a canção “Eu sei de Cor”, a qual liderou a Brasil Hot 100 Airplay em 2016 por cinco semanas. “Infiel” tornou-se a quinta música mais executada nas rádios do Brasil naquele ano, além de atualmente ser a quarta canção brasileira com mais visualizações no YouTube, atrás apenas de “Ai, Se Eu Te Pego”, de Michel Teló, “Sosseguei”, de Jorge & Mateus, e “Bang”, de Anitta.

A incrível história de Marília Mendonça

Após alcançar um sucesso na divulgação do material no YouTube, que lhe rendeu o apelido de “Musa da Sofrência”, Marília fez o seu primeiro grande show ao vivo em agosto do mesmo ano, na cidade paraense de Itaituba. Ao mesmo tempo em que iniciava a carreira em cima dos palcos, Marília continuou compondo músicas para outros artistas, como Lucas Lucco, Joelma, Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Maiara & Maraísa, Matheus & Kauan, Fred & Gustavo, Zé Neto & Cristiano, César Menotti & Fabiano e os já citados anteriormente Henrique & Juliano e João Neto & Frederico.

 ”Hoje me sinto preparada pra levar a verdade pra todos os meus ouvintes. A Marilia Mendonça canta hoje o cotidiano, o dia a dia. Hoje eu faço o que eu amo. E sinceramente, tudo que eu espero é que as pessoas se encontrem, se achem nas minhas musicas, e sintam como se fossem delas.”

Marília Mendonça

O DVD foi produzido por Eduardo Pepato, com um clima bem intimista, sem a presença de público e gravado em uma mansão, com decoração escolhida a dedo, e claro que ficou sensacional a fotografia do projeto.

A faixa “Alô Porteiro” também se destaca no vídeo, com arranjos que realmente destacam o timbre de voz de Marília Mendonça, trazendo um pouco da chamada sofrência. No projeto também vemos faixas dançantes como “O Que É Amor Pra Você”, que trás o romantismo na música, que acaba tornando-se uma identidade da jovem cantora.

Outra faixa de destaque é “Esse Cara Aqui do Lado”. Entre suas faixas do DVD algumas linguagens não tão habituais são feitas como “Meu Cupido é Gari” e assim vai andando o disco, mostrando realmente que o romantismo é a palavra final do disco.

Em 8 de outubro de 2016, Marília realizou a gravação do segundo DVD da sua carreira, intitulado Realidade, no Sambódromo de Manaus. Quatro das canções gravadas foram disponibilizadas em 13 de janeiro de 2017 em um EP homônimo, com três canções inéditas, além da conhecida “Eu Sei de Cor”.O lançamento oficial do CD e do DVD está previsto para o dia 24 de fevereiro de 2017, também assinado pelo selo Som Livre. O sucesso de Marília Mendonça.

 

veja também